Varejo busca soluções tecnológicas para frear aumento de preços

Elevação da carga tributária e retorno da cobrança de diversos impostos suspensos durante a pandemia faz com que o setor busque na digitalização maneiras de manter o fluxo de caixa positivo


Em um início de ano marcado pelo aumento de impostos, discussões sobre a reforma tributária e mudanças constantes na legislação fiscal, a fim de evitar onerar os consumidores que querem fugir de altos valores no carrinho, grandes empresas do ramo varejista estão buscando na tecnologia soluções para evitar um aumento muito brusco nos preços dos produtos.

No último ano, a pandemia da Covid-19 fez com que todas as esferas do governo suspendessem a cobrança de alguns impostos, com a promessa de retomar o débito dos valores neste ano. Com a arrecadação em baixa, a soma desse conjunto de fatores já está chegando ao bolso do consumidor, que é quem deve acabar pagando a conta.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), entre alguns itens de consumo com alta incidência de impostos estão, por exemplo, pão francês – com uma média de 16,86% de impostos incidentes sob o preço total –, arroz (17,24%), feijão (17,24%), cerveja engarrafada (42,69%), shampoo (44,20%) e roupas (34,67).

Soluções à vista

Com o objetivo de frear um aumento nos preços de diferentes produtos que chegam às prateleiras de mercados de todo o Brasil, uma das soluções buscadas pelas principais marcas de supermercados no Brasil tem sido a digitalização de seus processos de pagamento de impostos.

“Em geral, as empresas brasileiras gastam mais de mil horas anuais com questões tributárias. Isso representa quase um mês de força de trabalho gasta com um processo que pode ser automatizado. Afinal, manter-se em compliance fiscal diante de um cenário de mudanças constantes na legislação tributária e vai e volta dos governos que brigam com a queda de arrecadação a todo instante, exige o trabalho quase impossível de uma equipe totalmente dedicada dentro de uma empresa. Por isso, o caminho mais assertivo para evitar prejuízos por não estar em conformidade fiscal, que giram em torno de R$ 170 bilhões por ano para os negócios no país, é investir na tecnologia e digitalização”, diz Paulo Zirnberger de Castro, Country Manager da Sovos no Brasil.

Levantamento realizado pela Sovos aponta, ainda, que a digitalização de tributos é capaz de gerar uma economia de até 5% na carga de impostos e de compliance das empresas, hoje em torno de 34% no Brasil. Ainda de acordo com a pesquisa, uma organização com faturamento de R$ 3 bilhões no ano que implemente soluções de tecnologia tributária pode experimentar economias de até R$ 55 milhões através da correta utilização e enquadramento tributário.

“A volumetria do varejo é muito grande. Por isso, automatizar tarefas como coleta de informações básicas de cadastro, consulta de CNPJ e checagem de fornecedores, e contar com um serviço de inteligência para atualizar e interpretar as mudanças na legislação tributária, já ajudam a agilizar e otimizar muito os processos. Com isso, o Varejo consegue mitigar riscos e reduzir custos que eventualmente precisariam ser repassados aos consumidores finais”, explica Paulo.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

©2021 Deltha Contabilidade - Todos os direitos reservados. | by Cloudbe

× Como podemos te ajudar?

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?