Cerca de 6 a 9 mil carros deixaram de serem montados devido manifestação dos caminhoneiros


Manifestação contra resultado da eleição para presidente afetou a movimentação de peças e trabalhadores para fábricas, mas que efeito não ameniza expectativa de vendas no ano de 2022 entre montadoras no Brasil


Devido as paralizações em manifestações dos caminhoneiros por todas as rodovias pelo Brasil em protesto contra o resultado da eleição presidencial de nosso país, o setor automotivo sofreu em suas produções.

As montadoras de veículos no Brasil tiveram de recuar a produção entre 6 e 9 mil veículos somente no dia 31 de outubro, por conta das dificuldades de transporte de peças e trabalhadores para as respectivas fábricas, segundo dados divulgados pelo presidente da Anfavea, Márcio Leite.

Além disso, os registros de emplacamentos, que é muito comum de acontecerem em carros novos no final de cada mês, também teve paralizações, atingindo até 9 mil novos emplacamentos, registrando uma queda de 6,7% nas vendas em outubro, comparado com o mês de setembro.

Mas mesmo assim, a expectativa inicial de vender 2,14 milhões de veículos em 2022 ainda está mantido e estimativa deve se concretizar até o final do ano. A crise de oferta de semicondutores (componentes eletrônicos) ainda está afetando as montadoras, mas que vê com otimismo a produção de 2022.


SUGESTÕES DE PAUTA: reportagem@gruposulnews.com.br

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

©2022 Deltha Contabilidade - Todos os direitos reservados. | by Cloudbe

× Como podemos te ajudar?

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?